segunda-feira, 21 de outubro de 2013

VÍCIOS ALIMENTARES


Quando você ingere um alimento que adora (em geral, doces e frituras, né?), seu cérebro registra a experiência como algo prazeroso. Então, toda vez que se depara com uma situação estressante, ele recupera essa sensação e pede mais desses alimentos. Só que essa é uma solução provisória e, pior, viciante! A dependência pode não ser diária, mas já caracteriza uma percepção de que comida gostosa é recompensa para qualquer sensação ruim.
Alguns mecanismos de defesa fazem você negar que está neste ciclo; assim, você continua comendo sem parar.
As armadilhas abaixo são comuns e podem estar reforçando seu vício. Ver a si mesma em alguma delas é o primeiro passo para a superação.
· Racionalização: identificar uma ação como responsável pelo excesso de comida. Por exemplo, dizer que se alimenta mal pois “não tem tempo” para buscar itens saudáveis.
· Desatenção seletiva: seja no espelho do elevador ou no reflexo da vitrine, as mulheres costumam checar o visual. Pessoas obesas, no entanto, evitam encarar a realidade de que estão acima do peso.
· Deslocamento: a ideia é adaptar seus interesses e gostos à comida com o objetivo de sustentar seu vício. Já pensou que seus programas favoritos incluem comer?
· Isolamento: seu organismo reprime os sentimentos negativos relacionados à sua compulsão. Por exemplo, você passa a não se incomodar mais por usar calça tamanho 48…
· Formação reativa: este mecanismo de defesa faz com que você acredite que a gordura está relacionada à saúde e a magreza, à doença.

***6 dicas para superar os vícios alimentares que engordam:
1 - Não minta para si mesma dizendo “Esta é a última vez”, para justificar o descontrole.
2 - Não é necessário cortar o alimento de vez. Experimente uma técnica semelhante ao desmame: vá reduzindo o consumo aos poucos, até chegar ao limite saudável.
3 Faça substituições por alimentos que agradem ao seu paladar. Por exemplo, troque o chocolate por uma fruta bem doce, que você goste muito. Além de menos calórica, é rica em vitaminas, fibras e sais minerais.
4 - Afaste-se da tentação. Não tenha o alimento sempre à mão, nem em casa e nem no trabalho. Evite comprá-los no supermercado.
5 - Se for inevitável, então peça a opção “P”. Escolha e coma sempre a menor porção.
6 - Cuide de sua saúde emocional. Vícios e compulsões frequentemente estão relacionados a estados de depressão, estresse ou ansiedade. Além do nutricionista, acompanhamento psicológico pode ajudar a livrar-se do vício.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

DESAFIO VIVA BEM
DIA 5 - Macarrão pode!
Macarrão é permitido, mas cuidado com o molho. Molho branco, quatro queijos, são muito mais calóricos quando comparados com o ao molho vermelho. Portanto, não abuse!
Prefira a massa integral, promove mais saciedade e ...
sempre que possível use molhos caseiros. Para dar um colorido pode adicionar legumes no molho (cenoura, pimentão, brócolis) fica uma delícia e bem nutritivo!
Uma proteína (carne branca e vermelha) se sempre bem vinda para promover maior saciedade e segurar o apetite para a próxima refeição.
 
DESAFIO VIVA BEM
DIA 4 - Salada antes da refeição!
 Comece sempre a refeição com um caprichado prato de saladas.
Dá aquela impressão de que já estamos saciadas. Deixa o estômago um pouco mais cheio, nos impedindo de comer mais do que podemos no prato principal. Assim, cortamos mais calorias. Aconselho comer um prato de salada 20 minutos antes da refeição. Mas quem almoça em restaurante todos os dias fica meio impossível. Então a dica é: comer a salada primeiro mesmo assim, devagar e depois comer a refeição principal. Coma salada todos os dias! Cuidado com os temperos, prefira sempre o natural (limão, azeite, vinagre, pouco sal) evite tos “molhos” industrializado, pois contêm mais calorias.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

DESAFIO VIVA BEM
DIA 3 - Beba água dia todo!
Clique na imagem para ampliar!
Para o emagrecimento, a água é fundamental suprindo naturalmente o apetite, hidratando o corpo e ajudando no metabolismo de gordura armazenada. Sem a ingestão de água adequada, o sistema natural de limpeza e desintoxicação do organismo é prejudicado, influenciando o aparecimento de várias doenças.
Sede, sudorese e urina concentrada são sinais de que o organismo precisa se hidratar!!
16/10 - DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

"Sistemas Alimentares Sustentáveis para Segurança Alimentar e Nutrição"
Tema do Dia Mundial da Alimentação em 2013

O tema oficial do Dia Mundial da Alimentação – anunciado no início de cada ano pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO)dá foco à data e ajuda a aumentar a compreensão de problemas e soluções na busca pela erradicação da fome.
Hoje quase 870 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de desnutrição crônica. Modelos insustentáveis de desenvolvimento estão degradando o meio ambiente, ameaçando ecossistemas e a biodiversidade que serão necessários para garantir o fornecimento de alimentos no futuro. Os clamores por profundas mudanças em nossa agricultura e nosso sistema alimentar se tornam mais frequentes e mais insistentes.
Como se pareceria um sistema alimentar sustentável? É possível passarmos da situação atual para essa proposta? O que precisaria ser mudado para nos mover nessa direção? O Dia Mundial da Alimentação 2013 é uma oportunidade para explorar essas e outras questões, e ajudar a fazer acontecer o futuro que nós queremos.
DIGA NÃO AO DESPERDÍCIO!!!
Fonte: www.fao.org

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

DESAFIO VIVA BEM
DIA 2 - Não fique sem comer!
Se alimente de 3 em 3 horas!
O mais importante é não passar longos períodos sem comer. Fazer pequenos lanches entre as grandes refeições é fundamental, pois ao restringir energia o metabolismo tende a ficar mais lento, como uma forma de poupar energia que lhe foi fornecida, o que acaba dificultando a perda de peso. Além disso, provavelmente a pessoa irá comer mais na próxima refeição, buscando alimentos mais calóricos, como uma forma de compensação, o que também resultará em ganho de peso.
 
DESAFIO VIVA BEM
DIA 1 - Ataque as frutas!
Consuma entre três porções de frutas todos os dias. Laranjas, maçãs, peras, melancia, tangerina, entre outras, são as melhores fontes naturais de vitaminas, minerais e fibras. Esses três componentes auxiliam o bom funcionamento do nosso intestino e auxiliam o nosso metabolismo a continuar ativo mesmo nos intervalos entres as refeições.
Dica: as frutas podem ser um fast food e ainda são saudáveis, pouco calóricas e muito nutritivas!
 
DESAFIO VIVA BEM
Quer ter uma alimentação saudável, equilibrada e aumentar a sua Qualidade de Vida?
Chegou 30 dias de saúde no VIVA BEM!
Começou 14/10/2013
Siga as dicas de saúde!!!
Durante 30 dias, postaremos diariamente dicas para aumentar sua Qualidade de Vida.
15/10 - DIA DO PROFESSOR
 

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

7 DICAS SEGURAS PARA BAIXAR A FEBRE
Veja como agir antes de ir ao médico ou recorrer aos remédios por conta própria
Febre não é uma doença, e sim um sintoma. Resposta certeira do organismo para o tratamento de inflamações e infecções, o aumento da temperatura do corpo sinaliza uma atividade mais intensa do sistema imunológico, prejudicando a ação de vírus e bactérias que eventualmente estejam nos atacando.
1. Faça compressas frias no tronco e membros
Usar uma toalha úmida ou com uma bolsa térmica em temperatura mais fria no tronco e nos membros pode ajudar a diminuir a temperatura do corpo. Geralmente a temperatura da água fria de uma torneira basta. Um bom indicador é colocar a mão na água e ver se você tolera aquela temperatura - essa é a temperatura ideal para resfriar a pele sem machucá-la. A medida só não é indicada quando o paciente se queixa de muito frio e poderia se sentir mal em contato com a umidade. É importante lembrar também que a aplicação prolongada de uma temperatura muito baixa, em seu ponto de congelamento, pode acabar resultando em queimadura da pele e até necrose do local.
2. Fique em repouso
"A febre acelera os batimentos cardíacos, por isso o repouso é indicado, evitando sobrecarregar o organismo", explica o clínico geral Antonio Carlos Barbosa de Souza, do Departamento de Clínica Médica da Associação Paulista de Medicina. O repouso é importante também por que a movimentação durante um processo febril pode ser extremamente desconfortável e pouco produtiva.
3. Tome um banho morno
Uma boa ducha de água morna pode ajudar o paciente a recuperar a temperatura ideal. Mas porque não água muito fria? Segundo o clínico geral Antonio, o banho muito gelado pode levar a um aumento da frequência cardíaca, que já está elevada por causa da febre. A duração do banho é determinada pelo paciente, ficando a ressalva apenas para crianças que tiveram uma convulsão febril - para essas, segundo o especialista, a ducha não é indicada.  
4. Prefira tecidos de algodão
Vale um moletom ou uma camiseta de algodão. O importante é vestir peças confortáveis. "O algodão costuma ventilar melhor e reduz a sensação de desconforto, principalmente durante o sono quando o paciente pode suar excessivamente", explica Eduardo Finger. Se você estiver usando peças sintéticas, o suor não será absorvido e sua pele pode ficar irritada, causando desconforto.
5. Mantenha-se hidratado
Tomar muita água e líquidos em geral, é essencial para baixar a temperatura do corpo e prevenir casos de desidratação. Isso porque o calor da febre faz você suar demais, havendo necessidade de repor os líquidos perdidos neste processo. No caso de crianças pequenas e bebês, líquidos devem ser ofertados com frequência. Observe se eles mantem fluxo urinário regular para certificar a hidratação.  
6. Coma adequadamente
Faça uma dieta leve, de digestão simples e adequada às suas preferências. Se for um paciente adulto ou jovem, não há grandes preocupações com a quantidade de alimento que será ingerida durante a febre. "No entanto, se for uma pessoa com a saúde mais debilitada, como um idoso que tenha algum tipo de doenças, uma alimentação mais equilibrada pode ser determinante do curso da doença", afirma o clínico geral Eduardo. No geral, o gasto calórico aumenta durante a febre, e por isso uma dieta um pouco mais rica em calorias pode beneficiar essas pessoas com a saúde mais comprometida.
7. Atenção ao uso de medicamentos
Para tratar da febre, é preciso entendê-la e entender a sua origem. "Se a causa da febre for simples, como uma gripe, e não muito alta (até 38 graus), não há razão para tratar de forma medicamentosa", afirma o clínico geral Eduardo. No entanto, se ela estiver com dores pelo corpo, mal estar e outros sintomas, o uso de um antitérmico pode ajudar. 'Febres acima de 38,5 ou 39 graus costumam cursar com maior desconforto e são frequentemente medicadas, mas mesmo nestas temperaturas, se o paciente não referir desconforto, uma boa opção é observar sem medicar', completa o especialista. Uma exceção deve ser feita no caso de crianças pequenas no qual a febre deve ser tratada para evitar a convulsão febril. 'Antitérmicos não são água e usá-los indiscriminadamente pode danificar seriamente a saúde de uma pessoa - por isso, antes de tomá-los, procure auxilio especializado", afirma Eduardo. O clínico geral Antonio Carlos completa dizendo que se o medicamento já foi indicado anteriormente pelo médico em outra ocasião e a febre está incomodando, o paciente pode ser medicado - desde que encaminhado ao médico assim que possível para que a causa da febre seja investigada.
 
AUMENTE SEU PIQUE NO TRABALHO
Melhore o humor e a organização e mande o estresse para longe!
Tem semanas em que a vontade é ficar na cama, com os pés para cima e sem compromisso nenhum. Mas o trabalho não dá trégua e o jeito é buscar alternativas para manter o ânimo e dar conta das tarefas profissionais.
Para terminar o dia sem esgotamento e aguentar firme a semana, algumas dicas de organização são o segredo.
Seguem algumas opções para você adotar e conseguir vencer o expediente - em vez de ser vencido por ele. 
 1. Crie uma agenda diária com prioridades
Organização é palavra de ordem. Quando o trabalho flui, você evita estresse, economiza tempo e poupa a mente de preocupações desnecessárias. Use a agenda para se manter pontual em todos os compromissos, eventos e reuniões e procure opiniões do chefe e dos colegas para definir o que é prioridade. Estar sempre com a sensação de que tudo está atrasado e acumulado é desmotivador.
2. Faça pausas
Alguns minutinhos são revitalizantes e ajudam a manter um bom ritmo de trabalho. Estudos comprovam que pequenas pausas durante o expediente estimulam o bem-estar do funcionário e otimizam o rendimento profissional. Levante e dê uma volta no escritório, estique as pernas e converse um pouco.
3. Estabeleça metas possíveis
Pode ser motivador ter objetivos cada vez mais desafiadores, mas é preciso um limite pra que o efeito não vire o contrário.
4. Preserve os momentos de lazer
Perder os momentos de descanso e descontração para horas extras de trabalho pode ser extremamente perigoso à saúde e ao rendimento profissional. É preciso ter um equilíbrio entre vida pessoal e profissional para que nenhuma saia prejudicada.
5. Saiba dizer NÃO
É muito difícil manter o pique nas tarefas se a todo o momento houver interrupções de outras pessoas. O ideal é avaliar se a solicitação é tão urgente a ponto de parar o que você está fazendo. Se não for, diga ao colega de forma educada que, após terminar sua atividade atual, você irá ajudá-lo. Também evite abraçar todas as tarefas que surgem sem realmente saber se dará conta. É melhor negar alguns compromissos do que ter vários mal cumpridos.  
6. Corra atrás do Bom Humor
Não adianta esperar que o mau humor vá embora sozinho. Procure dormir bem, relaxe, esvazie a mente de preocupações e permita-se errar e progredir diante de frustrações. Um estudo da Ohio State University College of Business e da Universidade da Pensilvânia (EUA), apontou quem começa o dia bem humorado se sente mais disposto e produtivo, tendo mais sucesso na jornada de trabalho.  Fonte: www.minhavida.com.br

terça-feira, 24 de setembro de 2013

9 CONSELHOS DE PEDIATRAS PARA SEU FILHO CRESCER COM SAÚDE

Confira os melhores hábitos para fortalecer a imunidade do bebê e da criança!

1. Mantenha a cartela de vacinação em dia
"A vacina é uma imunização passiva, ou seja, o organismo cria anticorpos contra a bactéria ou vírus que causam a doença sem ficar doente", diz a pediatra Ana Gabriela Pavanelli Roperto, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. Além disso, a vacinação aumenta a produção de células defensoras protegendo o nosso corpo inclusive contra outras doenças.
2. Amamente o seu filho pelo menos até os seis meses de idade
Segundo a pediatra Ana Gabriela, o leite materno possui um importante papel na imunidade dos bebês, pois contém células de defesa e fatores anti-infecciosos que têm a função de proteger o organismo dos pequenos. "O leite ainda tem ação bactericida, protegendo os recém-nascidos de doenças infecciosas, alergias, obesidade e diabetes, além de conter nutrientes que trazem efeito positivo no aprendizado e no desenvolvimento da cavidade bucal", completa a especialista.
3. Monte um prato colorido
A partir dos seis meses de vida, é necessário começar a introduzir os outros grupos alimentares na dieta da criança. "Os alimentos sólidos contém componentes como fibras, vitaminas, oligoelementos e proteínas, mas no inicio da alimentação complementar eles precisam ser amassados e oferecidos em forma de papinha, pois os lactentes podem se engasgar", diz a pediatra Ana Gabriela.
A dieta de qualquer criança deve ser extremamente equilibrada, incluindo leite, verduras, legumes, frutas, cereais e carnes brancas e vermelhas. O resultado é um prato rico em nutrientes essenciais para proteger o organismo. 'Uma alimentação balanceada é o primeiro passo para um sistema imunológico forte e a prevenção do excesso de peso, que pode gerar outros problemas no futuro", diz o pediatra e neonatologista Marcelo Reibscheid, do Hospital São Luiz, em São Paulo.
4. Respeite a soneca da tarde
Além das oito horas de sono diárias, é importante que crianças de até cinco anos de idade tenham a chamada soneca da tarde ou soneca do dia. De acordo com o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, do Instituto Saúde Plena e do Hospital Albert Einstein, o sono da tarde melhora a produtividade da criança, diminui a irritação, ajuda no desenvolvimento cognitivo e melhora a coordenação motora.
5. Deixe a criança brincar ao ar livre
Muitas mães e muitos pais acreditam que se a criança brincar ao ar livre, estará altamente exposta a vírus e bactérias, correndo mais risco de pegar doenças. Segundo o pediatra Jorge, o cuidado pode ter efeito contrário. "Crianças que brincam apenas em lugares fechados são mais propícias a ficarem doentes, pois esses ambientes concentram um número maior de vírus, bactérias e ácaros", diz. 'Ao brincar ao ar livre, a criança entra em contato com outras pessoas e cria mais anticorpos, aumentando sua imunidade, além de o contato com a natureza e com outras crianças proporcionar mais diversão e uma qualidade de vida melhor."
Outro benefício de brincar ao ar livre é o fato de criança tomar mais sol, que é um bactericida natural. "A exposição ao sol de maneira saudável, sempre com proteção e nos horários adequados, deixará os ossos da criança mais fortalecidos, assim como sua imunidade", afirma Marcelo Reibscheid.
6. Ensine a criança a manter hábitos de higiene
É importante que desde cedo a criança tenha consciência da importância da higiene diária, desde lavar as mãos antes de comer ou após sair do banheiro até tomar banho e escovar os dentes após as refeições. 'Manter os hábitos de higiene retira impurezas e diminui a quantidade de bactérias, vírus, vermes e outros micro-organismos que ficam alojados nas mãos e no corpo", diz a pediatra Ana Gabriela. "Com isso, prevenimos a transmissão de doenças infecciosas como verminoses, gripes, resfriados e diarreias e evitamos problemas com cáries e gengivites."
7. Estimule a prática de exercícios
"A prática de exercícios estimula o desenvolvimento físico e da musculatura, da coordenação motora, previne a obesidade e incentiva o convívio social", diz o pediatra Marcelo. Segundo o especialista, o incentivo a movimentos como sentar e levantar podem ser feitos a partir dos seis meses de idade, e o estímulo a prática de atividades esportivas estão liberados a partir do primeiro ano de vida. "Existem também aulas de natação e ioga para bebês para serem feitas junto com os pais, e exercícios fortalecem o vínculo afetivo entre pais e filhos", diz Marcelo.
8. Estabeleça uma rotina
"As crianças não gostam de nada que seja desconhecido ou mal planejado, e acabam ficando estressadas", alerta o pediatra Marcelo. Por isso, é interessante criar uma rotina com horário pré-estabelecidos para o banho, refeições, descanso e demais atividades do dia. "Dessa forma, após cada atividade a criança saberá o que virá na sequência e terá conhecimento do seu dia a dia, fator que melhora o desenvolvimento cognitivo e previne a ansiedade".
9. Deixe a criança longe do fumo passivo
O fumante passivo inala as mesmas substancias tóxicas que o fumante ativo. São tóxicos que, entre outros problemas, podem causar alergias respiratórias (como asma, rinite e sinusite), dificultar a aprendizagem da criança e até prejudicar sua audição. "Bebês que são constantemente expostos ao fumo passivo ainda podem ser vítimas da Síndrome da Morte Súbita Infantil, causada pelas substâncias tóxicas do cigarro", alerta a pediatra Ana Gabriela. E não adianta fumar longe da criança: as substâncias ficam impregnadas na sua roupa, nas paredes e nos móveis da casa, onde a criança pode passar a mão e levar os dedos contaminados à boca, sofrendo os mesmos efeitos.
 
 
Especial Infantil
Confira matérias do VIVA BEM para os pequenos:
- CATAPORA
- LANCHEIRA SAUDÁVEL
- GELINHO COM SUCO NATURAL
- DE MALAS PRONTAS!
- 5 CUIDADOS COM AS CRIANÇAS NA PISCINA
- CHIPS DE LEGUMES
- DE OLHO NA OBESIDADE INFANTIL!
- 10 MITOS E VERDADES SOBRE A ALIMENTAÇÃO DA GAROTADA
- CONSEQUÊNCIAS DA MÁ ALIMENTAÇÃO INFANTIL
Crianças que comem muito fast food desenvolvem QI menor, diz estudo.
- LANCHINHO COLORIDO E SAUDÁVEL PARA A CRIANÇADA!
Um lanche repleto de nutrientes saudáveis que é igualzinho ao prato japonês. Sirva e surpreenda as crianças pela criatividade. E pelo sabor, é claro!
- MAS QUE CALOR ÔÔÔ...
Para aumentar o consumo de frutas de suas crianças, compartilho a dica dos picolés caseiros feitos com polpas naturais!
- LANCHINHOS PARA OS PEQUENOS!!!
Dicas de como deixar o lanche mais divertido. Confira as montagens:
- TROCAS ESPERTAS PARA A CRIANÇADA
Descubra como deixar algumas guloseimas mais saudáveis!
- PIPOCA FAZ BEM PARA A SAÚDE?
Pesquisa indica que guloseima tem nível de antioxidantes igual ou maior do que de algumas frutas e verduras, o que pode ajudar a prevenir doenças.
 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

EVENTO GRUPO SAGA - BRASÍLIA / DF
Programa Qualidade de Vida no Trabalho - Perfil de Saúde

O Programa de Qualidade de Vida do Grupo Viva Plena foi executado para cuidar melhor do patrimônio mais importante da sua Empresa: a saúde e o bem-estar do seu colaborador.
O sucesso das Empresas depende cada vez mais das pessoas que compõem a força de trabalho e a valorização dos colaboradores assegura o desenvolvimento, satisfação e bem-estar.
Essa parceria se traduz na adoção de medidas preventivas associada a uma gestão eficaz da saúde corporativa. Isso consiste em conhecer o perfil dos colaboradores de sua empresa, avaliar e implementar alternativas para melhoria de qualidade de vida e trabalho.
Avaliamos os principais riscos à saúde dos colaboradores, com o objetivo principal de oferecer as melhores soluções em saúde.
Baseado na análise dos dados coletados e com a finalidade de traçar o Perfil de Saúde da população da empresa, o relatório técnico direciona os resultados para implantação de Programas de Prevenção.
PERFIL DE SAÚDE
A avaliação dos principais riscos à saúde dos colaboradores da sua empresa, com o objetivo principal de oferecer as melhores soluções em saúde.
Este programa é realizado para clientes da Corretora Viva Plena, sempre com resultados muito positivos, por parte do RH e dos funcionários das empresas participantes. São relatórios, ações proativas e depoimentos que nos mostram que o programa é realmente eficaz na melhora da qualidade de vida no ambiente de trabalho.
 
Como funciona:
Diagnostico da situação dos principais riscos à saúde encontrados na sua empresa, realizado das seguintes formas:
- Via questionário:
·         Questões referentes ao estilo de vida, antecedentes e riscos à saúde;
- Via equipe multiprofissional:
·         Desenvolvimento de campanha, em formato de Feira de Saúde no local de trabalho.
·        Aferição de Pressão Arterial e Glicemia
·        Análise de Peso, Altura, IMC, % Gordura Corporal e Circunferência Abdominal
·        % Hidratação
·        Orientação de hábitos saudáveis através de folhetos informativos
·        Guia de Bolso fornecido aos colaboradores com os dados aferidos e recomenações